Campanha de vacinação contra gripe inicia segunda fase

Idosos, professores, profissionais da saúde e mais podem se vacinar a partir desta segunda (22). Meta é vacinar 58 milhões de pessoas.

  • 23/4/2019 07:12
  • Usina Ester
  • Usina Ester

O Ministério da Saúde iniciou nesta segunda-feira (22) a segunda fase da campanha de vacinação contra a gripe. A primeira fase teve como público-alvo crianças e gestantes, que ainda podem procurar as unidades de saúde para se vacinar.

A partir desta segunda podem se vacinar:  

  • trabalhadores de saúde  
  • povos indígenas  
  • puérperas (mulheres até 45 dias após o parto)  
  • idosos (a partir dos 60 anos)  
  • professores  
  • pessoas portadoras de doenças crônicas e outras categorias de risco clínico  
  • população privada de liberdade, incluindo adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medida socioeducativa e funcionários do sistema prisional
     

A meta é imunizar 58,6 milhões de pessoas até o dia 31 de maio, quando a campanha será encerrada. 

Este ano serão distribuídas 63,7 milhões de doses da vacina. Ao todo, 41,8 mil postos de vacinação estarão funcionando no país, com o envolvimento de 196,5 mil profissionais e a utilização de 21,5 mil veículos (terrestres, marítimos e fluviais).

As vacinas são disponibilizadas gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) dos municípios para o público-alvo.

O 'Dia D', mutirão para todos os grupos de risco, será no dia 04 de maio. ] 

Meta

No ano passado, o grupo prioritário não atingiu a meta de 90% de cobertura. Segundo o Ministério da Saúde, a meta este ano permanece 90% de cada um dos grupos prioritários e a escolha dos grupos que receberão a vacina segue recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Essa definição também é baseada em estudos epidemiológicos e no comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe.

Mortes
Segundo dados do ministério, até 23 de março, foram registrados 255 casos de influenza em todo o país, com 55 mortes. O subtipo predominante no país até o momento é influenza A H1N1, com 162 casos e 41 mortes registrados.

A campanha se concentra neste período do ano porque a queda das temperaturas no outono e no inverno tende a aumentar as aglomerações de pessoas em lugares fechados e sem ventilação. São maiores também os riscos de se pegar a doença, pois a contaminação ocorre principalmente por meio do contato com outras pessoas doentes.

A gripe diminui a imunidade da pessoa gripada e pode levar a infecções virais ou bacterianas. Em casos extremos, pode levar à morte.

A vacina não causa a gripe. Ela permite que o paciente fique imune aos tipos de vírus mais comuns em circulação sem ficar doente.


0 Comentário(s)